Imprensa

17/07/2018

Brinquedoteca do Boldrini completa 17 anos

Quem entra pela recepção de atendimento do Centro Infantil Boldrini logo avista uma grande casinha na árvore, muitas fantasias e brinquedos. Crianças sorrindo, brincando, lendo e entrando em um mundo de fantasias onde não há dores e nem tristezas. Cara de hospital, ali não tem. Para as crianças é um espaço para brincar enquanto não passa pelas consultas. Para os adultos, um espaço que vai além do ato de brincar.


A Brinquedoteca do Centro Infantil Boldrini é um sonho realizado há 17 anos fundada graças a uma parceria com o Instituto Ayrton Senna e a Viviane Senna. Criada para que as crianças tenham um ambiente lúdico entre uma consulta e outra, a brincadeira virou coisa séria. A importância do brincar dentro do ambiente hospitalar vai além do brincar pelo prazer de brincar. “Cada paciente tem uma necessidade diferente do brincar na brinquedoteca do Boldrini como, por exemplo, necessidade de ocupação do tempo, estimular o treinamento de novas aptidões, pode ser uma válvula de escape para controlar alguma ansiedade, criatividade, entre outros”, explica a Coordenadora da Brinquedoteca Nina Mazzon, que está à frente da brinquedoteca desde sua inauguração. Porém, independente da necessidade a função da brinquedoteca é proporcionar o desenvolvimento saudável, independentemente da situação em que o indivíduo se encontra.


O local conta com uma rotina já adaptada entre os pacientes. “O primeiro passo é a higienização. As próprias crianças já sabem que ao entrar precisam passar o álcool gel nas mãos e também já sabem que após usar os brinquedos ou fantasias eles devem ser guardados no mesmo local que encontraram”, conta Claudia Bella Lisboa, brinquedista do Boldrini.


Para as crianças que estão internadas nos leitos a rotina é um pouco diferente, mas elas também têm acesso aos brinquedos. “Caso a criança não possa deixar o leito para brincar, os pais ou responsáveis podem ir até a brinquedoteca para escolher o brinquedo ou o jogo e levar ao quarto. Todos os brinquedos passam por higienização antes e depois de serem entregues aos pacientes para evitar qualquer tipo de contaminação”, explica Nina.


Além da rotina diária, a brinquedoteca é palco para muitas comemorações: Carnaval, Páscoa, Festa Junina, Dia das Crianças, Natal, entre outros. “Para os pacientes que estão internados na data do aniversário nós realizamos a comemoração no leito. Temos uma parceria com a nutrição que verifica a dieta deste paciente e se estiver liberada, solicita que a cozinha confeccione um bolo. No final da tarde, a brinquedoteca sobe com o kit festa, cantamos parabéns junto com a enfermagem e os acompanhantes do paciente, entregamos as lembranças, e o bolo é servido para todos da ala. É mais um incentivo para que ele se sinta ainda mais acolhido em meio ao tratamento. Nas datas comemorativas também levamos mimos para os pacientes internados”, conta Cláudia.


O que não faltam também são oficinas de artesanato que são ministradas ao longo do ano tanto para pacientes quanto para os pais e passeios externos como, por exemplo, a visita à Expoflora, em Holambra.

Hoje o Boldrini conta com cerca de 40 voluntários na Brinquedoteca que acreditam na importância do brincar onde os momentos vivenciados são valiosos tanto para o paciente quanto para o voluntário. Além disso, as brinquedistas já foram convidadas para dar cursos e palestras graças ao sucesso da Brinquedoteca. “A criação do espaço modificou a relação do paciente com o hospital. Por ele saber que poderá brincar no hospital, tivemos um aumento na adesão ao tratamento, a vinda para as consultas se tornou menos traumáticas, e ainda foi possível identificar uma redução do nível de estresse, tudo isto comprovados em uma pesquisa que realizamos após um ano de funcionamento da Brinquedoteca”, finaliza Nina.