Imprensa

23/07/2018

Estudo realizado com pacientes do Boldrini apresenta informações que podem contribuir para melhorar o acesso ao tratamento e a sobrevida de pacientes pediátricos com câncer em cabeça e pescoço

Um artigo publicado recentemente na revista Journalof Oral Pathology& Medicine descreve as características sociodemográficas de pacientes com tumores pediátricos em cabeça e pescoço atendidos no Centro Infantil Boldrini, no período de 1986 a 2016. Este documento é decorrente da Dissertação de Mestrado da aluna Lady Paola Aristizabal Arboleda, desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Estomatopatologia, da Faculdade de Odontologia de Piracicaba da UNICAMP sob a orientação do Prof. Alan Roger Santos-Silva.


Segundo a Dra Regina Mendonça, coordenadora da pesquisa e cirurgiã dentista do Centro Infantil Boldrini, este estudo é considerado original no contexto da América Latina, em pacientes com câncer pediátrico. “Os dados sobre as neoplasias malignas na região de cabeça e pescoço, em pacientes pediátricos, são limitados e sua distribuição clinicopatológica é amplamente desconhecida em pacientes latino-americanos. Considerando que o câncer representa uma das principais causas de mortalidade pediátrica em todo o mundo, e que a incidência dessa doença parece estar aumentando na região da cabeça e pescoço,o conhecimento fornecido pelo presente estudo pode colaborar para orientar futuros estudos sobre o tema”, ressalta.


No estudo, foi realizada uma revisão dos prontuários e identificado que o tipo de câncer mais comum da região de cabeça e pescoço nos pacientes pediátricos, na população estudada, foram os linfomas, mais especificamente linfomas não Hodgkin. “Além disso, observamos uma grande variabilidade nos tipos de câncer que podem acometer essa região do corpo. É importante ressaltar que os dados desse estudo são relativos a um único centro de tratamento oncológico e, embora o Boldrini atenda pacientes provenientes de diversas partes do país, pode haver variações na incidência destes tipos de câncer de acordo com a localização de outros centros de tratamento”, enfatiza a Dra. Regina.


Estudos sobre o câncer na região de cabeça e pescoço em pacientes pediátricos são raros. Em pacientes latino americanos, especialmente, essas informações são limitadas e pouco se sabe a distribuição clinicopatológica desses tumores. “A principal contribuição deste estudo é colaborar para ampliar o conhecimento sobre o tema e orientar futuros estudos sobre o assunto. A aluna foi aprovada no processo seletivo para o Doutorado e seu projeto dará continuidade à essa linha de pesquisa, se aprofundando no assunto. Uma compreensão mais profunda desta questão poderá gerar novas estratégias em termos de políticas de saúde para populações pediátricas e servir como base para adotar um diagnóstico mais rápido e mais precoce”, finaliza.

Para acessar o artigo na íntegra basta acessar o link: Demographic and clinicopathologic distribution of head and neck malignant tumors in pediatric patients from a Brazilian population: a retrospective study.